Passar para o conteúdo principal

12.ª campanha portuguesa de investigação antártica inicia-se com investigadores no terreno até ao fim de fevereiro

Antártida

12.ª campanha portuguesa de investigação antártica inicia-se com investigadores no terreno até ao fim de fevereiro

Iniciou-se, a 10 de janeiro 2024, a 12.ª Campanha Antártica Portuguesa 2023-24, organizada pelo Programa Polar Português (PROPOLAR). A campanha decorrerá até final de fevereiro de 2024, acolhendo 14 projetos de investigação, com 22 cientistas a chegarem à Antártida para realizar trabalho de campo nas ilhas do Rei Jorge, Decepção e Livingston (Arquipélago das Shetlands do Sul), Cierva Cove, Estreito de Gerlache e Arquipélago de Palmer (Península Antártica).

A investigação científica a desenvolver é focada nas ciências atmosféricas, biológicas, ambientais, da criosfera e da Terra, relacionando-se com os impactos das alterações climáticas na Antártida.

A logística dos projetos e das missões é suportada pelo PROPOLAR e por programas parceiros. A campanha será ainda ancorada num voo fretado por Portugal, que transportará cientistas e técnicos dos programas polares português, búlgaro, chileno, coreano, espanhol e uruguaio, entre Punta Arenas no Chile e o aérodromo Teniente Rodolfo Marsh Martin situado na ilha de Rei Jorge, na Antártida. O voo decorrerá no dia 1 de fevereiro de 2024, sendo o contributo português para a logística internacional que apoia as atividades científicas na Antártida durante o Verão austral, o período de atividade científica mais ativo do ano, no continente branco.

Como grande novidade, a campanha antártica portuguesa integrará a Expedição COASTANTAR, uma expedição em veleiro para o estudo das alterações climáticas na região costeira da Península Antártica, a realizar em fevereiro próximo. Esta expedição é financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e pelo Colégio de Ciências Polares e de Ambientes Extremos (POLAR2E) da Universidade de Lisboa. Esta expedição irá permitir aos cientistas portugueses chegar a áreas inacessíveis a navios de grandes dimensões, e contribuir para a logística internacional para apoio à ciência nesta região do planeta. A expedição COASTANTAR realizar-se-á em fevereiro de 2024, e terá a duração de duas semanas.

A campanha antártica é financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) - Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), através do Programa Polar Português (PROPOLAR). A campanha é possível graças à forte cooperação internacional com países parceiros. Em 2024, Portugal conta com a colaboração da Bulgária, Chile, Espanha e República da Coreia, que proporcionam apoio para estadia em bases e navios de investigação, transporte de investigadores e de equipamento e apoio às atividades. Por seu lado, Portugal apoia com logística através do voo antártico, a Bulgária, Chile, Coreia do Sul, Espanha e Uruguai.

Os projetos portugueses com atividade no terreno são os seguintes:

ANTARTIC-D-LIGHT II - Impactos da assincronia entre fotoperíodo e temperatura nos organimos marinhos antárticos – mecanismos endócrinos de sinalização e funções metabólicas. Coordenador: Pedro Guerreiro (Centro de Ciancia’s do Mar, Universidade do Algarve). Local de trabalho: Ilha do Rei Jorge.

APMAR 2024 - Balanço de massa e energia da superfície da Península Antártica: o papel dos rios atmosféricos. Coordenadora: Irina V. Gorodetskaya (Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental, Universidade do Porto). Local de trabalho: Ilha de Rei Jorge.

BIOCRUST-2023 – Biocrust biodiversity as an indicator to diagnose, monitor and predict climate change impacts in Antarctic ecosystems’ functioning. Coordenadora: Paula Matos (Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa). Local de trabalho: Expedição COASTANTAR.

CAMÕES - Estrutura de caracterização e monitorização de círculos de pedras ordenados na Antártida. Coordenador: Pedro Pina (Departamento de Ciências da Terra, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade de Coimbra). Local de trabalho: Ilha de Rei Jorge.

DETOXANTAR - Mecanismos celulares e moleculares e o microbioma na destoxificação em organismos marinhos antarticos. Coordenador: Pedro Guerreiro (Centro de Ciências do Mar, Universidade do Algarve). Local de trabalho: Expedição COASTANTAR.

SAIL-BIO – Longitudinal Analyses of Pollution and Zooplankton in Antarctic Peninsula Region. Coordenador: José Xavier (Centro de Ciências do Mar e Ambiente, Universidade de Coimbra). Local de trabalho: Expedição COASTANTAR.

POLAR BUILDINGS - Desempenho de Estações Polares: Ambiente, Energia e Comforto. Coordenador: Manuel Guedes (Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa). Local de trabalho: Ilha de Rei Jorge.

POLAR BUILDINGS COASTANTAR - Desempenho de Estações Polares: Ambiente, Energia e Comforto. Coordenador: Manuel Guedes (Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa). Local de trabalho: Expedição COASTANTAR.

HYDROPERMA 3 - Campanha geoeléctrica para estudo da evolução do permafrost e da camada activa, Ilha Rei Jorge, Antártida Marítima. Coordenador: António Correia (Instituto de Ciências da Terra, Universidade de Évora). Local de trabalho: Ilha de Rei Jorge.

RISKANTAR - Multi-hazard exposure of people and assets in Northwest Antarctic Peninsula. Coordenador: José Luís Zêzere (Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa). Local de trabalho: Expedição COASTANTAR.

SCAntar - From Aciense and Public Diplomacy towards Citizen Diplomacy: the case of the Antarctic Peninsula. Coordenadora: Sandra Balão (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, Universidade de Lisboa). Local de trabalho: Expedição COASTANTAR.

THAWIMPACT-CONTAMINANTS - Antarctic Peninsula permafrost under a changing climate: sensitivity, fate and impacts. Coordenadora: Rute Cesário (Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa). Local de trabalho: Expedição COASTANTAR.

THAWIMPACT-SSI - Alterações climáticas e o permafrost da Península Antártica: sensibilidade, evolução futura e impactes. Coordenador: Gonçalo Vieira (Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa). Local de trabalho: Ilha Livingston, ilha Deceção (Arquipélago das Shetlands do Sul), Cierva Cove (Península Antártica).

THAWIMPACT-PERMAFROST - Antarctic Peninsula permafrost under a changing climate: sensitivity, fate and impacts. Coordenador: Gonçalo Vieira (Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa). Local de trabalho: Expedição COASTANTAR.

Para mais detalhes sobre os projetos, consultar o website do PROPOLAR.