De 3 a 5 de maio de 2019, os alunos do IGOT de “Geografia Física dos Ambiente de Montanha” e “Seminário/Projeto de Geografia Física” efetuaram uma saída de campo com o objetivo de reconhecerem diferentes formas de relevo e processos evolutivos de maciços montanhosos em Portugal.

No Maciço Calcário Estremenho dedicaram-se sobretudo à interpretação de depósitos e processos de dissolução em rochas carbonatadas.

Na Serra da Estrela, a identificação de formas glaciares e vestígios de glaciação, cuja excepcionalidade, levam a uma candidatura a Geoparque Mundial da UNESCO, foram o foco principal.

Após dezenas de quilómetros percorridos, algumas dores nas pernas e um salutar convívio, ficam, certamente agradáveis recordações.

No IGOT, para além de se privilegiarem os métodos e técnicas avançadas, utilizando-se tecnologias de informação geográfica, o conhecimento do território, a aplicação do conhecimento e a validação in loco dos dados são uma preocupação permanente na formação dos seus estudantes. Assim, o desenvolvimento de trabalho de campo é uma componente fundamental na formação dos Geógrafos e Planeadores que passam pela Escola da Universidade de Lisboa.