O Prof. José Luís Zêzere, docente do IGOT e investigador do Centro de Estudos Geográficos, esteve no Edição da Noite da SIC Notícias no dia 19 de novembro de 2018 para explicar a ocorrência o escorregamento que fez com que a estrada entre pedreiras, que liga Borba a Vila Viçosa, ruísse.

Esclareceu o Prof. José Luís Zêzere que o território onde ocorreu este desastre é um território onde este tipo de ocorrência não é comum em vertentes naturais, atendendo a que os declives são habitualmente suaves e o substrato rochoso é composto por rochas resistentes (mármore). Contudo, enfatizou que esta ocorrência se deu numa vertente de uma pedreira com um declive muito acentuado, sendo que a estrada se localizava a poucos metros da vertente abrupta que ladeava a pedreira.

Para além da explicação sobre o elemento desencadeante que poderá ter sido a vibração dos veículos sobre um terreno instável, que se encontraria no limite do seu fator de segurança, alertou para a falta de meios de monitorização existente ao nível municipal. Por outro lado, referiu o nível de risco associado àquela via, mas salientando que terá havido uma evolução temporal das condições de estabilidade da vertente que não foram acompanhados e que levaram ao desabamento da estrada.

O Prof. José Luís Zêzere referiu o impacte negativo das pedreiras a nível paisagístico, mas também a necessidade da sua existência, contudo, no que respeita à estrada que atravessava as pedreiras, salientou que esta deveria ter sido encerrada e deveria ter sido criada uma via de circulação alternativa.

Alertou para a inexistência de uma avaliação de risco e de custo-benefício que frequentemente não ocorre nestas situações, designadamente quando esta via foi desqualificada, em 2005, e que, de acordo com o Prof. José Luís Zêzere, deveria ter sido encerrada nessa data.