Na sequência do lançamento do livro “Projecções de Lisboa” o jornal Público publicou este interessante artigo sobre a cidade de Lisboa, referindo-se ao ensaio da da Prof.ª Isabel André e do Prof. Mário Vale:

Os geógrafos falam do donut que Lisboa era nos anos 1970-80 e 90 e explicam que é “um modelo de crescimento metropolitano caracterizado pelo esvaziamento do centro urbano e crescimento populacional nas coroas suburbanas e periurbanas” (…). Em 2011, Lisboa tinha 50 mil apartamentos vazios — quase 16% da habitação da cidade —, dos quais 78% estavam fora do mercado. Com o boom, muitas casas regressaram ao mercado, mas não para os residentes permanentes da cidade.

Um artigo para se refletir sobre a evolução da habitação nas metrópoles e, em Lisboa, em particular. Artigo disponível em: https://www.publico.pt/2018/11/02/local/opiniao/lisboa-donut-chantilly-1849538