//Finisterra Lição Anual 2022: Why should we care about the shrinking Artic Sea Ice Cover? – Julienne Stroeve
A carregar Eventos
  • Este evento já decorreu.

Finisterra – Revista Portuguesa de Geografia informa que, por motivos imponderáveis, a Lição Anual 2022 agendada inicialmente para ocorrer dia 11 de novembro de 2022, foi adiada para a data de 25 de novembro de 2022, às 15h00.

Realiza-se no dia 25 de novembro, às 15h00, a Lição Anual da Finisterra 2022, intitulada “Why should we care about the shrinking Artic Sea Ice Cover?”, que conta com a apresentação de Julienne Stroeve, professora e investigadora em retroações Clima – Gelo marinho, na Universidade de Manitoba, Canadá.

J. Stroeve tem vindo a desenvolver investigação em deteção remota de neve e gelo. O seu foco atual incide no estudo da profundidade da neve e da espessura do gelo, a partir da altimetria de satélite, relacionado com a variabilidade do gelo marinho e com as implicações da perda contínua de gelo no clima, nos ecossistemas marinhos e nas comunidades locais. Foi premiada com a Julia and Johannes Weertmann Medal, em 2020, pela European Geosciences Union (EGU), distinguindo a sua “importante contribuição científica no aperfeiçoamento da deteção remota de gelo marinho, na melhor compreensão das causas da variabilidade e das alterações do gelo marinho, e na empenhada tarefa de comunicação e divulgação para o público em geral”.

Durante o evento será ainda feita a entrega de prémios do Melhor Artigo do Ano de 2021 e lançada a segunda edição do concurso “Livros que contam: descobre um livro e dá-o a conhecer“.

SESSÃO PRESENCIAL & ONLINE:
Presencial: Auditório Orlando Ribeiro (sujeito à disponibilidade do espaço) 
Online: (link a disponibilizar brevemente)

INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES:
https://revistas.rcaap.pt/finisterra/LA2022

Julienne Stroeve | Nota Biográfica

Doutoramento em Geografia (1996), pela Universidade do Colorado – Boulder, EUA.  Professora e Investigadora em Retroações Clima – Gelo marinho, na Universidade de Manitoba, Winnipeg, Canadá. Investigadora Sénior, por mais de 20 anos, no National Snow and Ice Data Center (NSIDC, CIRES), Universidade do Colorado, Boulder, EUA. Professora (2016-2019) de modelação e monitorização de ambientes Polares, no University College of London, Reino Unido. Premiada com a Julia and Johannes Weertmann Medal, em 2020, pela EGU-European Geosciences Union, distinguindo a sua “importante contribuição científica no aperfeiçoamento da deteção remota de gelo marinho, na melhor compreensão das causas da variabilidade e alterações do gelo marinho, e na empenhada tarefa de comunicação e divulgação para o público em geral”.

Desde 2014, tem sucessivamente registado um elevado número de citações pela plataforma de indexação Clarivate – Web of Science. J. Stroeve tem vindo a desenvolver investigação em deteção remota de neve e gelo. O seu foco atual incide no estudo da profundidade da neve e da espessura do gelo, a partir da altimetria de satélite, relacionado com a variabilidade do gelo marinho e com as implicações da perda contínua de gelo no clima, nos ecossistemas marinhos e nas comunidades locais. Os seus amplos interesses de investigação no Ártico incluem interações atmosfera-gelo marinho, climatologia sinótica, previsibilidade do gelo marinho, deteção remota, mudanças climáticas e impactos nas comunidades nativas. Desenvolveu trabalho de campo na Groenlândia, no Canadá, no Oceano Ártico e em regiões cobertas de neve nos Estados Unidos. Durante a última década, e cada vez mais, os esforços têm-se concentrado em entender as rápidas mudanças ambientais observadas no Ártico e o que essas mudanças significarão para o resto do planeta.