Mestrado em Turismo e Comunicação

O Mestrado em Turismo e Comunicação é um Programa conjunto do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril.

Coordenação do curso:
Professor Doutor José Manuel Simões | IGOT: academicos@igot.ulisboa.pt
Professora Doutora Teresa Malafaia | FLUL
Professora Doutora Cândida Cadavez | ESHTE

Coordenação do 2º ciclo: Prof. Doutora Ana Ramos Pereira

Normas regulamentares do Mestrado em Turismo e Comunicação – Despacho n.º 3650/2013, publicado no Diário da República, 2ª série nº 47 de 07/03/2013.

No ano letivo de 2016-17 as candidaturas, as matrículas e inscrições realizam-se no IGOT (a)(b)(c).

(a) – Candidaturas – candidatos à frequência do curso em 2016/2017;
(b) – Matrículas – candidatos admitidos e alunos do 1.º ano;
(c) – Inscrições – alunos do 2.º ano com orientadores do IGOT

Objetivos

  • Responder aos novos desafios e exigências que o sector do turismo enfrenta;
  • Valorizar e atualizar os conhecimentos adquiridos ao longo dos percursos académicos e/ou profissionais dos discentes;
  • Contribuir para a adequação do turismo nacional a uma realidade em constante mudança;
  • Compreender as dinâmicas atuais da atividade turística, suas tendências conjunturais, tendo em vista viabilizar a atividade profissional, num mundo e num sector onde a realidade está em permanente evolução;
  • Explicitar a importância do turismo, enquanto fator de desenvolvimento dos territórios, identificando e analisando os seus elos de ligação;
  • Sensibilizar para a necessidade da durabilidade dos processos turísticos e para a sustentabilidade dos destinos;
  • Aprofundar métodos e técnicas de intervenção para melhorar o desempenho no sector turístico;
  • Induzir as capacidades de diálogo com os agentes do sector público e privado.

Estrutura

O programa de 2.º ciclo em Turismo e Comunicação apresenta uma estrutura dividida em duas fases:

  1. a primeira é constituída por um conjunto de seminários, palestras e exercícios práticos em que o ensino-aprendizagem se realiza de forma coletiva e escolarizada;
  2. a segunda resulta dos conhecimentos e das práticas já adquiridas, passando os formandos a assumir de modo mais autónomo e individualizado o seu projeto de estudo.

O grau de mestre poderá ser obtido por duas vias: científica e profissionalizante. A possibilidade de optar por uma ou outra forma de conclusão justifica-se pela diversidade de candidatos que contempla ao instituir-se com combinatórias que respondem a fatias de mercado laboral bem enraizadas, não só em Portugal, como num plano mais global. É o caso, a título de exemplo, das múltiplas atividades associadas ao Turismo nas suas diversas vertentes.