Programa inter-universitário oferecido em conjunto pelo Centro de Estudos Sociais (CES) e o Instituto de Investigação Interdisciplinar (III) da Universidade de Coimbra, pelo Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT) e o Centro de Estudos Geográficos (CEG) da Universidade de Lisboa e pelo Departamento de Ambiente e Ordenamento da Universidade de Aveiro.

Coordenação do curso no IGOT: Prof. Doutor José Luís Zêzere

Coordenação do 3º ciclo do IGOT: Prof. Doutor Mário Vale

Em 2016/2017 o programa funciona na Universidade de Aveiro.

Para mais informações: http://www.ces.uc.pt/doutoramentos/territorio/

Estrutura Curricular em vigor aprovada pelo Despacho n.º 2578/2011, publicado no Diário da República, 2ª série nº 25 de 4/03/2011.

 

 

Apresentação

As Ciências do Risco, enquanto área disciplinar, tem adquirido nos últimos anos uma crescente visibilidade e institucionalização, sobretudo em agências de âmbito internacional como a UNESCO e o Conselho da Europa.

O Doutoramento em Território, Risco e Políticas Públicas é um programa de formação avançada vocacionado para o desenvolvimento de competências de investigação científica e qualificações profissionais elevadas no âmbito das ciências do risco.

É um programa pensado para um público com formação superior, mas diversificado, indo das ciências sociais às ciências naturais e exatas e às tecnologias, permitindo uma visão integrada e a quantificação da capacidade de resiliência e resistência das comunidades e indivíduos, baseada na consideração conjunta de diversas incertezas, e na seleção de variáveis relevantes para a avaliação e perceção do risco nas comunidades humanas.

 

Objetivos

Fornecer uma formação científica sólida nas diferentes áreas atinentes à problemática do risco, tanto na vertente de modelação dos processos, na gestão territorial e na mobilização dos indivíduos e comunidades, assim como na articulação e implementação de políticas públicas. Procura-se a definição de fundamentos e de instrumentos de apoio à política de gestão dos riscos, compreendendo, para além das medidas estruturais e sistemas de emergência, medidas de redução da vulnerabilidade social, instrumentos normativos, tendo em conta o enquadramento jurídico e estratégico nacional, assim como as diretivas comunitárias e as estratégias e regulamentos das Organizações Internacionais. O programa decorre num total de 4 anos.