Os lagos e lagoas originados pela fusão do permafrost no Ártico são de grande relevância para compreender o destino da matéria orgânica contida no solos anteriormente congelados. Estas massas de água, de dimensões muito diversas, ocupam extensões enormes no Ártico e sub-Ártico e são palco de processos biogeoquímicos complexos e ainda pouco compreendidos. O projeto THAWPOND é uma colaboração entre o CEG/IGOT, o CQE/IST e o CEN – Universidade Laval (Canadá), que visa caracterizar do ponto de vista biogeoquímico pequenas lagoas termocársicas (tradicionalmente negligenciadas nos modelos globais, por serem de muito pequena dimensão), identificar os fatores causadores das diferenças biogeoquímicas encontradas e, usando técnicas de deteção remota, identificar a representatividade espacial dos diferentes tipos de lagoas.

A campanha de campo de 2019 realizou-se próximo da aldeia de Umiujaq, no norte do Quebeque, e visou a realização de levantamentos multiespectrais com um veículo autónomo não tripulado, caracterização das propriedades físico-químicas das lagoas e ainda a amostragem de águas para análises biogeoquímicas a realizar em Lisboa. Participaram na campanha realizada de 26 de agosto a 4 de setembro, os professores Carla Mora e Gonçalo Vieira, bem como Pedro Freitas, estudante de doutoramento do IGOT, que se encontra a realizar investigação no quadro do projeto.

Para saber mais sobre os primeiros resultados do trabalho até aqui realizado, convidamos à consulta de https://www.mdpi.com/2072-4292/11/6/657